Rolagem da perdição

Está bem documentado o quão mau para a sua saúde mental pode ser a exposição exagerada às redes sociais. Se você é um pai, pode até ter olhado por muito tempo na sua página de notícias do facebook, para chamar atenção aos seus filhos sobre o perigo do TikTok.

(Certamente) Todos nós sabemos o quanto a internet pode ser traiçoeira, com notícias falsas e teorias de conspiração correndo de forma desenfreada em páginas de notícias e sempre aprendendo, algoritmos rastreando cada clique e visualização, subtilmente prendendo-lhe numa câmara de eco do seu próprio preconceito.

Agora entra o novo vilão em acção : rolagem da perdição

Graças à tecnologia de rolagem infinita (a capacidade de design de web que permite que você continue rolando para baixo numa página para obter mais conteúdo, em vez de ter que percorrer páginas separadas para novas histórias), é mais fácil do que nunca desaparecer numa toca de coelho de conteúdo da Internet que pode não ser muito bom para sua saúde mental.

O que dizem os especialistas?

De acordo com os psicólogos, rolar infinitamente num conteúdo virtual e, em particular, em páginas de notícias virtual, pode nos fazer sentir um pouco melhor a curto prazo, do que simplesmente brincar nas páginas da mídia social tradicional, seguindo nossas paixões do ensino médio.

Rolar durante horas a fio em páginas de notícias, mesmo que as fontes sejam credenciadas e confiáveis, não parece tão preguiçoso ou autocomplacente quanto assistir 27 compilações fracassadas do YouTube. Parece que você está a assumir a responsabilidade e a escolher activamente manter-se informado.

No entanto, essa aparente busca pelo conhecimento, na qual nos enganamos em embarcar, tem uma desvantagem séria.

 

Devido aos algoritmos supracitados e à natureza do noticiário (venda de más notícias), as chances de alguém obter uma dieta equilibrada de artigos de notícias através do seu telefone, são escassas.

 

Em toda a probabilidade, no terceiro ou quarto artigo, você estará em risco grave de causar sofrimento emocional a si mesmo.

 

De acordo com um artigo publicado pela Cleveland Clinic, a psicóloga Susan Albers explica que, rolar o ecrã do seu telefone constantemente tem muito pouco a ver com estar informado. Geralmente, algo mais sombrio está em jogo.

 

“Se você está deprimido, muitas vezes procura informações que podem confirmar como você se sente,”

 

É uma situação em que seus próprios sentimentos negativos são validados pelo fluxo incessante de negatividade que flui através do seu telefone.

 

“Se você está a sentir-se negativo, ler notícias negativas reconfirma como você se sente.”

 

Esta validação é altamente viciante.

 

“Se você está a rolar continuamente, torna-se um hábito irracional”, diz o Dr. Albers. “Muitas vezes, você pode até não perceber que está a fazer isso. Mas torna-se um hábito tão grande que, se você tiver um momento de desânimo, pode pegar no seu telefone e começar a rolar a tela, mesmo sem estar realmente ciente disso. ”

 

Uma outra coisa importante a se tomar em consideração é que, a rolagem da perdição também pode ser uma função do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

 

De acordo com o Dr. Albers “O comportamento não é realmente para encontrar notícias; trata-se de reduzir a ansiedade”

 

A rolagem da perdição é uma actividade virtual altamente viciante, mas ao contrário de assistir vídeos de gatos, rir de memes ou crushing candy, não há nenhuma vantagem real nisso. Isso não o relaxa, nem o informa de maneira significativa.

 

No entanto, isso constrói as paredes da sua câmara de eco mais alto e encaracola o seu cérebro em bobinas ansiosas demasiadamente estimuladas de medo e descontentamento.

E agora?

Encontra-se preso numa rolagem infinita?

 

Não se preocupe. Você não está sozinho.

 

Assuma o controlo da sua exposição virtual fazendo pequenas alterações.

 

  • Mova o ícone do seu aplicativo favorito da sua página de rolagem da perdição para longe da tela inicial.
  • Em vez de manter o seu telefone na mão enquanto lê, coloque-o sobre a mesa ou sobre o colo, de forma que você tenha que mover activamente o braço para rolar para baixo, ao invés de mover o polegar facilmente.
  • Instale um aplicativo de limitação de tempo ou defina um tempo limite no seu telefone, e permita-se apenas alguns minutos por dia para navegar nas páginas de notícias.
  • Registe-se em um ou dois boletins de uma rede de notícias credenciada e equilibrada, e leia apenas os destaques do e-mail das notícias do dia.
  • Desligue, desconecte, saia e respire profundamente. (Temos isso de boa autoridade, que o mundo provavelmente não acaba amanhã)