O debate sobre a idade para mamografia explícito

 

13/10/2020

Nos últimos anos tem havido muito debate sobre qual seria a idade certa para a mulher ter a sua primeira mamografia. Embora em regara geral tem sido sempre 50, alguns especialistas acreditam que esse rastreio do cancro devia começar mais cedo, ou seja, aos 40 anos.

 

Todavia, outros não concordam, alegando que um rastreio precoce pode causar incerteza. De acordo com esses profissionais, mulheres entre os 40 e 49 anos correm menor risco de desenvolver cancro da mama do que as que estão acima dos 50, e apenas certos factores alteram essa equação. O histórico familiar, a genética e o estilo de vida são alguns desses factores. Aconselha-se que mulheres que tenham um parente do primeiro grau (mãe ou irmã), que tenha desenvolvido cancro da mama antes dos 50 anos, considerem a mamografia mais cedo do que aquelas que se encontram na faixa média de risco.

 

Iniciar com o rastreio muito cedo na vida pode não ser benéfico para a mulher que pertence ao grupo de menor risco. As mamas das mulheres na casa dos 20, 30 e no início dos 40 anos apresentam-se mais densas do que as das mais velhas. Elas possuem mais tecido mamário e menos gordura, o que torna difícil a penetração da mamografia, dificultando desse modo, a detecção de tumores.

 

Mulheres mais novas têm maior probabilidade de obter resultados positivos falsos uma vez que o tecido denso pode apresentar-se suspeitoso numa mamografia. Isso pode conduzir à testes de seguimento desnecessários, causando despesas e stress imerecidos.

No entanto, os cancros da mama em mulheres jovens tendem a crescer mais rápido do que em mulheres mais velhas. Isso significa que nem sempre fazer a mamografia em cada 1 à 2 anos pode resultar em detecção precoce e tratamento imediato.

Por essa razão, o auto-exame deve ser feito mensalmente. Qualquer anomalia ou alteração detectada nas mamas deve ser levada à sério e apresentada à um profissional de saúde o mais rápido possível.

Geralmente recomenda-se a começar a fazer rastreios anuais para as mulheres com perfil de risco médio, entre os 45 e 50 anos. Especialistas recomendam a realização da mamografia uma vez por ano para mulheres entre os 45 e 54 anos, e de dois em dois anos para mulheres acima dos 50 anos. Recomenda-se que o rastreio continue ao longo de toda a vida, depois dos 55 anos.