Como Se Manter São Num Mundo Louco

24/06/2020

O ínicio do milénio trouxe mudanças muito inesperadas na vida cotidiana. Pense no 11 de Setembro de 2001, na epidemia do HIV/Sida no início dos anos 00s, o movimento dos direitos para os homosexuais, a controvérsia relacionada com a vigilância do governo em 2013, e por último, mas certamente não menos importante, a pandemia do Coronavírus este ano.

Desde o dia em que estes acontecimentos ocorreram, as nossas vidas nunca mais foram as mesmas! Duas horas antes da queda das Torres Gémeas, ninguém para além dos criminosos, imaginou que o “Todo Poderoso EUA” estava prestes a ser vítima do maior ataque terrorista da história. Nunca ninguém pensou que fosse possível! Só que, em minutos, e vindo do nada, as Torres Gémeas desintegraram-se e desapareceram, levando consigo milhares de vidas humanas.

Tal como aconteceu com as torres gémeas, ninguém teria adivinhado há alguns meses atrás,que três meses após a entrada na nova década, o mundo, tal como o conheciamos, mudaria e possívelmente para sempre. Ninguém sonhava que o mundo iria parar por completo, e que o povo do mundo seria forçado a ficar isolado, impedido de sair das suas casas na esteira de um vírus desconhecido, assustador e por vezes letal.

Há oito meses atrás o sabonete era apenas algo que as pessoas usavam para lavar as mãos, o desinfectante era usado principalmente por visitantes e fumcionários das UCI (Unidades de Cuidados Intensívos), aperto de mãos era visto como boas maneiras, reuniões presenciais e a frequência física na escola era simplesmente a maneira como as coisas eram feitas, na verdade, para a maioria de nós, as reuniões “on-line” nunca foram realmente uma opção viável na ápoca, sabíamos que estas existiam, sabíamos que tinhamos acesso às aplicações, mas a maioria de nós não estava minimamente sintonizada com a forma como estas funcionavam, nem tão pouco estavamos preocupados em descobrir como era.   

E o que é que tudo isto nos diz? Diz que a vida é imprevisível, e quando pensamos que temos tudo bem planeado……BOOM……o universo chuta-nos uma bola com efeito. A nós só nos resta apanhar os pedaços e aprender a lidar com isso.

Hoje estamos a lidar com uma pandemia global. Pandemia!!!! Que palavra assustadora! A situação é assustadora. O Coronavírus literalmente tomou conta das nossa vidas, e curiosamente ninguém sabe por quanto tempo é que ficará por cá. Pior ainda é que, enquanto por cá andar, continuará a ser uma ameaça para a nossa saúde, riqueza e bem-estar. No entanto, se alguma coisa os humanos têm mostrado através dos milénios, séculos e décadas, é que somos um grupo resiliente. O COVID-19 pode realmente fazer-nos vacilar por algum tempo, mas nós vamos superá-lo!

Mas enquanto estamos nesta trajectória desconhecida, é muito natural sentir-mo-nos dúvidosos, oprimídos, e até deprimídos. Estar preso com algumas das nossas liberdades que conhecemos como garantidas desde o dia em que nascemos nos foram tiradas, pode-nos tornar em pessoas infelizes. Mas zangar-se com o seu cônjugue, filhos, ou mesmo com o seu vizinho do lado não vai ajudar em nada! Lembre-se, eles sentem-se tanto, ou ainda mais miseráveis e zangados quanto qualquer um de nós. Podemos continuar a atirar com os nossos brinquedos contra tudo e contra todos, dar pontapés nas paredes, gemer e chorar, mas tudo isso será em vão. A verdade é que todos nós temos medo das mesmas coisas. Estamos todos com medo de perder o que temos, e que sempre conhecemos como dados adquiridos, estamos com medo de jamais podermos dar a volta por cima e, acima de tudo, estamos todos petrificados em não conseguir manter as nossas famílias seguras e saudáveis. Então, qual é a solução? Como nos vamos manter sãos num mundo tão louco.

Aqui se apresentam algumas dicas que são conhecidas por funcionar, dê a si mesmo esta oportunidade e experimente, pode tornar a vida que agora vive em momentos mais suaves, mais alegres, e mais fácil.

  1. Deteminem fazer algo diferente todos os dias que vos faça feliz, quer seja tomar um longo banho de imersão bem quentinho, divertir-se com os seus animais de estimação,ou ler um capítulo de um bom livro. Não deixem de fazer algo que vos faça feliz, Desde que lhes traga um sorriso nos lábios, Façam-no!!
  2. Deteminem fazer algo diferente todos os dias que faça as vossas familias felizes. Pode ser fazer a sobremesa preferida ou jogar em conjunto um jogo de tabuleiro preferido. Se lhes faz brilhar os olhos de felicidade, Então Façam-no!!

 

  1. Façam-se lembrar que isto também vai passar.

 

  1. Mas, tenha em mente que isto voltará acontecer, não será necessáriamente o Coronavírus, mas um ou outro desastre social ou natural inesperado que terá impacto nas nossas vidas e ressuscitará os nossos medos em termos de segurança, saúde e bem-estar.

 

  1. Mantenham-se ligados! Se ainda se continua em isolamento ou em confinamento por favor não espere, fale com os seus entes queridos on-line. Hoje em dia a comunicação on-line nunca foi tão fácil, manter-se em contacto com os mais próximos de si acontece ao toque de uma tecla. Se a sua situação é ligeiramente mais afortunada porque vive em local onde as restrições de confinamento já foram parcialmente facilitadas. Porque não realizar uma reunião com familiares e amigos mais próximos e amados? Passar tempo de qualidade com aqueles de quem gostamos é inestimável e, tem o poder de levantar a sua moral, esta terpia faz melhor do que qualquer antidepressivo no mercado. Nunca se esqueça é de desinfectar as mãos e evitar muito contacto físico!

 

  1. Evite conflitos! Não discuta com a sua familia, colegas ou vizinhos. Lembre-se que estamos todos a nevegar em águas desconhecidas e, embora estejamos no mesmo oceano, não estamos no mesmo barco! Portanto, tenha uma mente tolerante, o contrário não seria intelectualmente racional.

 

  1. Afaste-se das notícias! Não tem necessidade de ouvir todos os canais de notícias, nem ler todos os artigos, sejam eles on-line, jornais ou revistas. Evite ser alvo de tudo quanto ouve e lê! Não se deixe agravar, não se deixe sentir fora de controlo.

 

  1. Se lê tudo quanto diz respeito à pandemia, deve deixar de o fazer, não se deixe acreditar em tudo o que lê – especialmente nas redes sociais. E porquê estas sugestões? Porque de repente, e do nada, todos na sua linha de sobrevivência são virólogos especializados, defensores dos Direitos Humanos  e teóricos com infindável experiência!! Jamais permita aqueles que possuem o mesmo, ou menos conhecimento, ditar-lhe o que deverá fazer, ou mesmo ditar-lhe o que deve vestir. Se continuar a ler e a reagir a tanta informação confusa e contraditória, a sua ira, receio e ressentimento vai-se multiplicar, contudo, acaba por ver que nada pode fazer contra o estado da actual situação

 

  1. Aproveitem a oportunidade e façam com que isto seja bom para todos! No estarem e ficarem na companhia daqueles que amam, sem deixar que se sintam infelizes ou mesmo sentir que foram atirados à má sorte. O amor que têm escondido dentro de vocês, e que está guardado para ser dado, Libertem-no!! Partilhem o vosso amor!! Partilhar é amar, amar é cuidar! Ame sem limites, e amor ilimitado receberá.

 

  1. Mantenham-se activos! Não queremos dizer com isto que se deve começar já a treinar para a super maratona de 2021. Mas sim fazer algo que vos faça mexer, evitar vidas sedentárias. Se o exercício não é de todo a sua praia não é problema, basta fazer uma curta caminhada pelo bairro. Explorar novas vistas e sons. Apanhem ar fresco e vitamina C, o sol faz falta, sem sol não há vida. Como alternativa podem sempre jogar com os seus filhos uma partida de golfe no jardim (ou mesmo na sala de estar), basquetebol, futebol ou qualquer outra coisa que possam achar mais plausível. Tudo o que vos possa fazer distrair positivamente da realidade actual, é uma dádiva!

 

  1. Agarre-se à esperança! As coisas vão mudar para melhor. Acredite, porque a única coisa que temos de constante nas nossas vidas, é a mudança. No próximo ano por esta altura, vamos todos olhar para trás, ver Junho de 2020, e vamos sorrir com o sentimento nostálgico, e muito orgulhosos vamos dizer a nós mesmo. Sim é verdade – eu e os meus conseguimos chegar aqui!